terça-feira, 12 de agosto de 2014

Sobre plantas híbridas e Coléus

Primeiro vamos falar dos Coléus. Sou apaixonada nesse plantinha e posso dizer que tenho uma pequena coleção. Abaixo algumas que tenho atualmente.





É uma planta extremamente fácil de cuidar e de reproduzir. Seu nome científico é Solenostemon scuttellarioides e também conhecida como arco-íris. Gosta de muita água (aqui nessa época de seca do Sudeste rego todos os dias) e de lugares extremamente iluminados. Não gosta de sol forte direto, porém se não tomar pelo menos o sol da manhã ou do fim da tarde fica desbotada. Abaixo exemplo da mesma planta com colorações diferentes. Uma fica na sombra a outra pega mais um pouco de claridade.





Sua propagação é facílima por estaquia: é só deixar um pedaço do caule com folha e tudo na água por uns dias até formar raízes, depois ela está pronta para plantio. Também é fácil plantar por sementes. Depois da floração, quando as flores secam, dentro há várias pequenas sementes pretas que germinam facilmente e bem rápido. Das sementes de uma mesma planta podem nascer "n" variações de plantas diferentes (aí entra a hibridização que vamos falar mais pra frente). Abaixo uma antiga sementeira com alguns coléus. Estes foram plantados de sementes de saquinho da Feltrin.




Ela dá tantas sementes que se espalham por vasos em todo meu quintal. E quem disse que eu não gosto? Além de embelezarem vasos com outras plantas, possuo combinações que talvez ninguém tenha, pois que foram polinizações cruzadas (já falo disso) entre os outros coléus do meu quintal. Abaixo alguns nascimentos espontâneos em alguns vasos.










Eu só vejo um problema nessa plantinha linda. As cochonilhas adoram! Então preste muita atenção. Eu não sou muito de jogar veneno nas plantas. Quando tem pouca infestação tiro com a mão mesmo. Se está demais podo. Ela se recupera rapidamente. Abaixo mais algumas que tenho atualmente e servem como exemplo de como sem sol ficam desbotadas. Esse local nesta época não pega sol, mas na primavera e verão sim. Também são mudas jovens.







Agora vamos falar das plantas híbridas. O que são? Você já deve ter ouvido falar muito delas por aí.

"Variedade e híbrido são muitas vezes utilizados como sinônimos na agricultura, mas isso é errado, pois representam tipos completamente diferentes de sementes. Entenda a diferença entre eles. Híbridos são obtidos pelo cruzamento forçado entre duas plantas de linhagens puras diferentes. Variedades são obtidas pelo cruzamento natural entre plantas da mesma linhagem."

Preste atenção nessas duas plantas que nasceram num mesmo vaso. Elas são filhas de uma mesma planta, porém com cacterísticas diferentes. Então representam uma variedade. Houve cruzamento entre flores da mesma espécie mas com características diferentes, resultando na mistura das cores.





HÍBRIDOS
"Híbrido é o resultado do cruzamento entre dois genitores (pais) de linhagens puras diferentes, possuindo características homogêneas entre si, mas diferentes dos pais. Sementes colhidas de plantações de híbridos geralmente não possuem as mesmas características desejáveis dos pais, não sendo recomendável o seu plantio em produções comerciais. Por este motivo, quando plantamos sementes híbridas, precisamos comprar sempre sementes novas."

Características dos híbridos

"Sementes híbridas são obtidas por polinização induzida, sendo este um processo caro e complexo. Em geral, as sementes híbridas geram plantas com alto vigor e produtividade. No entanto, para produzir bem, os híbridos precisam de ótimas condições de crescimento, com as quantidades corretas de fertilizantes, água, e agrotóxicos. Em condições rústicas, os híbridos costumam produzir pior que as variedades. Além disso, os híbridos são mais homogêneos, o que possibilita a maior eficiência na aplicação de tecnologias, como o uso de maquinários, e a maior homogeneidade do produto final. O milho híbrido, por exemplo, possui espigas na mesma altura, facilitando o trabalho das máquinas colhedoras."

Estas mudinhas abaixo cresceram em vasos próximos ao vaso dos coléus que mostrei acima que nasceram no mesmo vaso, porém com características diferentes. Todas são filhas da mesma planta, mas vejam como cada nova mudinha tem um aspecto diferente. Quando forem adultas e derem flores, provavelmente os polinizadores como abelhas e mosquitos farão mais cruzamentos gerando outras plantas novas. Mas lembre-se que estas são variedades e não híbridos, pois foram concebidos de maneira natural.




Abaixo a planta-mãe:



Variedades

"Variedades são as plantas geradas por polinização natural, tendo sido obtidas pela simples seleção de plantas com características desejáveis, que tem sido feita por milênios pela humanidade. As variedades são plantas mais heterogêneas (desiguais) entre si. Entretanto, as sementes colhidas de plantações de variedades expressam características semelhantes às dos pais, permitindo-se a utilização das sementes geradas para o próximo plantio."

Características das variedades

"As variedades são plantas mais rústicas, que toleram condições menos favoráveis ao seu crescimento. No entanto, não passam a produzir muito mais se quando aplicamos fertilizantes, água e agrotóxicos nas doses ideais. Além disso, as variedades geram lavouras mais heterogêneas (desiguais), o que dificulta a mecanização e a aplicação de novas tecnologias. Na aplicação de fungicidas, por exemplo, quando algumas plantas possuem alturas diferentes, as plantas mais altas receberão mais produto do que as plantas mais baixas, gerando problemas no manejo de doenças. Por esses motivos, as variedades são mais recomendáveis para cultivos de baixa tecnologia."


Abaixo alguns exemplos de uma mesma planta com variedades diferentes. Todas são do meu jardim. Estas já peguei assim, não nasceram espontaneamente.






"Desde que o ser humano começou a domesticar plantas para consumo e contemplação, houve a preocupação em selecionar as sementes e mudas mais vistosas e resistentes. O que no início era uma atividade intuitiva – se uma planta desse uma boa produção era natural que se guardassem as sementes, bulbos ou estacas daquela espécie de boa cepa -, hoje tornou-se uma ciência exata graças à genética.
"Os grandes produtores de alimentos usam a genética para pesquisar os melhores genes dominantes e cruzá-los para que determinadas culturas sejam mais produtivas e resistentes. E assim é com a produção de flores de corte e plantas ornamentais; flores como o lírio (Lilium), graças ao hibridismo, podem ser plantadas em qualquer parte da Terra e não só na Europa e América do Norte, e com uma variedade de cores e formatos que beira o infinito.
"Das técnicas antigas e muito eficazes de enxerto às pesquisas laboratoriais sobre os genótipos e seus fenótipos, o hibridismo tornou-se uma alternativa econômica e ecológica para a produção de plantas melhores e resistentes a pragas. Com as plantas híbridas pode-se cultivar espécies nativas de diferentes áreas do globo terrestre, adaptando-as às condições climáticas e de solo em qualquer lugar do planeta sem que se corra o risco de que ela venha a perecer ou tornar-se invasiva."

Aqui algumas que já tive e não tenho mais.



Essa era pendente, quero outra =( As cochonilhas acabaram com a coitada...




Essa grandona foi plantada de semente da Feltrin, e era muito muito grande as folhas!


Um texto interessante para quem quer saber mais sobre os híbridos, ótimo artigo científico: "Quando os híbridos são férteis"

Abaixo fotos da internet com algumas das imensas variedades dessa herbácea tão peculiar.












Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...