sábado, 10 de dezembro de 2016

Como fazer mudas de suculentas

Como eu disse neste post, as suculentas não são fáceis de cuidar, como se apregoam por aí. Mas são muito fáceis de propagar. Neste post vou mostrar várias formas de reproduzir sua planta.

Desculpem a qualidade de algumas fotos, mas essa semana só faz chover aqui em Uberaba/MG e não consegui uma luz muito boa!


Esta kalanchoe estava muito pescoçuda e cheia de brotos laterais. Cortei tudo e finquei no mesmo vaso.



Neste mesmo post eu coloquei fotos de algumas das minhas suculentas que precisavam de replante. Há uns 10 dias eu replantei algumas. Apenas cortei os caules e finquei no mesmo vaso. Como já disse, as pessoas preferem esperar 3 dias para cicatrizar o corte e depois plantar; ou até mesmo deixar em um local com luz indireta e esperar sair raiz pra depois plantar. Como sou muito afobada eu já planto direto, sem esperar. Pode acontecer de eu perder alguma planta? Sim, mas a maioria dá certo. A prova são as fotos que vou postar a seguir e que vocês podem comparar o antes aqui (Mas o que tem a ver isso com propagação? Já já explico).


Algumas meio fungadas, mas normal nessa chuvarada. Mas percebam que estão todas peguinhas. Você nota porque as folhas estão espigadinhas e túrgidas.

No post que linkei aí pra vocês compararem, a minha Echeveria lauii estava murcha e não crescia. Fui ver o caule estava podre. Tive que cortar bem rente as folhas e replantar. Pegou bem e está se recuperando, Acho que agora vai.

(Desculpem pela qualidade da foto!) Esta também mostrei lá no outro post que o tronco estava todo comido e com nematóides. Decapitei e replantei direto, está linda agora.

A minha Echeveria caly argentea também estava cheia de nematóides nas raízes. Decapitada e replantada com sucesso.

Outras decapitadas e replantadas direto no mesmo vaso, sem esperar cicatrização depois de 10 dias.

Propagação por folhas

É a mais fácil e a mais praticada. A maioria das suculentas se multiplicam muito fácil pelas folhas. Quando uma folhinha cai da planta não jogue fora. Dela vai sair uma raiz e depois uma mudinha, que posteriormente poderá ser plantada no vaso definitivo.


Todas essas se formaram a partir de mudas

A grande dúvida nesse método de propagação é se deve-se enterrar a folha, ou deixar em cima da terra, e quando plantar a mudinha bebê.


Folhas destacadas. Quando destacada, veja que ela fica com uma pontinha.


Primeiramente, nunca se deve cortar a folha, e sim destacá-la com cuidado do caule. As folhinhas que saem do pendão floral também são excelentes para fazer judas. Então quando cortar o pendão floral da sua suculenta, retire as folhas.

Folhinhas emitindo raizes
Não precisa enterrar a folha. É só deixar sobre a terra que ela emitirá as raizes e depois os brotos. As raízes sozinhas procurarão a terra e se desenvolverão. Há produtores que jogam as folhas em caixas secas sem nada e lá as mudas crescem sem nenhum cuidado. A nova mudinha utiliza a energia contida na folha para se desenvolver sem necessidade da terra. 

As 3 fotos abaixo são da mesma planta:

Folha emitindo raiz

Folha com mudinha bebê

A planta mãe que sofreu um acidente e deixei as folhas no mesmo vaso

Outras mudinhas que consegui por folhas e só deixei espalhadas pelas vasos, sem me preocupar:






Propagação por mudas laterais

Numa certa altura as suculentas podem emitir brotações laterais como filhotes ou brotos ladrões. Algumas plantas depois de florescerem morrem deixando várias mudas bebês ao seu redor. Os brotos ladrões tem esse nome pois retiram a vitalidade da planta e devem ser retirados. Deles fazemos outras mudas.


Muda lateral da Echeveria carnicolor

É só cortar com uma tesoura afiada

E pronto, temos uma nova muda!

Essas em específico vou deixar cicatrizar antes de plantar, uns 3 dias. Pode-se usar canela em pó no corte ou uma gota de própolis para ajudar na cicatrização e proteger a planta contra fungos e bactérias. Depois desses 3 dias é só enfiar a muda em um substrato bem drenável e regar uma vez na semana até que perceba que a muda enraizou. Essa semana vou fazer um post sobre substratos para suculentas mas já adianto que gosto de usar um substrato a base de vermiculita e condicionador de solo da Forth, com um pouco de carvão vegetal moído.


Outra Echeveria com duas mudas saindo de cima

Mudinhas cortadas

Outra com filhotes saindo debaixo

Filhotes retirados

Esta abaixo tem duas formas de mudas: uma lateral tipo broto ladrão e filhotes na base. Cortei somente a muda lateral e os filhotes vou deixar para encher o vaso.



Aqui a muda lateral que cortei enfiei direto no mesmo vaso sem esperar cicatrizar. Como o caule estava mais longo, acho que assim não tem problema. Quando o caule é curto e as folhas estão logo perto do caule, se enfiar direto as folhas apodrecem por ficarem em contato com o substrato.

Propagação por decapitação

Muito comum principalmente com as echeverias, quando estão muito pescoçudas e queremos que ela permaneça com a roseta bem definida. Da decapitação sobra o caule, de onde saem novas mudas que depois de algum tempo você pode retirar e plantar em vaso separado.


Essa planta tá bem feia sim. Mas vejam que eu cortei o topo e das laterais do caule que estava estiolado, estão saindo novas mudas. Daqui um tempo elas serão retiradas e plantadas separadamente. Algumas já saem com raízes mesmo estando grudadas ao caule.

Esta muda é o topo da planta da foto anterior que foi decapitada e plantada diretamente no substrato sem aguardar cicatrização

A planta abaixo, esses toquinhos, é uma crássula que estava estagnada e resolvi decapitar pra ver se ia pra frente. Os topos plantei em outro local e vejam que já estão saindo brotos laterais.




Esta outra que acho é um Sedum estava saindo pra fora do vaso então resolvi picotar tudo para que ela se espalhe e fique mais densa. Só depositei por cima da terra pois esse tipo de planta emite muitas raízes nos caules e são muito fáceis de reproduzir.




Propagação por mergulhia

Utilizada nas plantas as quais saem raizes normalmente ao longo da planta. Geralmente são plantas pendentes, usadas como forração ou as epífitas, que grudam nas árvores e por isso emitem muitas raízes em toda sua extensão. Para ler sobre plantas epífitas, clique aqui. E para saber sobre plantas de forração, clique aqui.


Percebem as raízes? É só cortar uma parte e deixar em contato com a terra, nem precisa afundar a raiz que ela mesma acha o caminho!

Esta abaixo já virou praguinha aqui no quintal! Muitos vasos já tem dela! Onde encosta já cria casa. Mas não reclamo pois é muito bonita e resistente e dá pequenas flores brancas e delicadas. Pode ser usada como forração. Se não me engano é uma crássula.




Um caso especial: Planta mãe-de-milhares!

Uma família de suculentas que podem virar praga são as kalanchoe mãe-de-milhares. Existem vários tipos e elas recebem este nome porque das beiradas das suas folhas nascem milhares de filhotinhos que literalmente saem voando indo habitar outros vasos ou canteiros e se espalham horrores!


Filhotinhos nascendo das folhas maiores. Eles já saem com raiz.

As mudinhas que saíram voando pra outro vaso

Eu não me importo, acho fofas. As que não quero retiro. Dá dó pois são muito fofas, mas é sem noção o tanto de mudas então ou joga-se fora ou doa-se pra quem queira. Abaixo fotos da net de outras espécies pois as minhas estão sem mudinhas nas pontas e eu queria mostrar bem isso pra vocês. A planta-mãe dessas acima está muito feia, olha como ela é:


Kalanchoe laetivirens
Fonte
Outras lindezas:

Kalanchoe pink-butterflies
Fonte

Kalanchoe daigremontiana
Fonte
K. daigremontiana detalhe dos bebês com raizes
Fonte



Kalanchoe tubifloraFonte



Detalhe da floração da K. tubiflora
Fonte

Detalhe dos filhotes da K. tubiflora vista de cima
Fonte


Kalanchoe fedtschenkoi
Fonte
Mudinhas da K. fedtschenkoi
Fonte

E existem muitas outras tá gente? Essas são uma amostra e as mais fáceis de se ver por aí!


Propagação por sementes   

Claro podemos propagar suculentas por sementes, mas é o mais difícil. A não ser que você queira
fazer cruzamentos e criar novas variedades. Eu já plantei e não tive muita paciência pois o crescimento é demorado, mas ainda pretendo ir em frente só pra mostrar aqui no blog. É só esperar o pendão floral da planta secar e colher as minúsculas sementes que estão dentro das cápsulas, elas são como um pó. É só esfregar as cápsulas sobre o substrato. Utilize o método de estufa. Tampe o recipiente com plástico filme, antes só borrife as sementes por cima com água, e não cubra as sementes com substrato. Deixe em local com luz indireta. Quando começar a germinação e estiverem um pouco desenvolvidas, pode retirar o plástico. Não vou detalhar muito aqui pois este assunto demanda um post só pra ele! Aguardem!

Gostou? Leia os outros posts que temos sobre suculentas:




5 Mitos sobre cactos e suculentas




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...