sábado, 25 de novembro de 2017

Os 15 maiores erros cometidos no cultivo de suculentas

Me chegam semanalmente muitas dúvidas sobre porque está acontecendo isso ou aquilo com as suas suculentas. Às vezes é falta de traquejo mesmo com a planta, inexperiência. Outras pessoas que já tem um tempinho de cultivo mas não conseguem debelar aquela dúvida. Aqui no blog temos já uma boa quantidade de posts relativos aos cuidados e cultivos com as suculentas, que você pode acessar tanto pelo menu acima quanto digitando "suculentas" no campo de busca do lado direito. Então aqui vou dar uma resumida em tudo que já falei e acrescentar algumas informações e dicas bem legais que só há pouco tempo também soube; porque mesmo nós jardineiras experientes aprendemos todos os dias!


Algumas lindezas que só ficaram bonitas depois das chuvas pois esse substrato estava ficando muito seco devido à estiagem, mesmo eu regando constantemente. Falarei disso adiante.





1. Água demais

Empoçou com a chuva

Essa é básica né? Pode parecer óbvia, mas na verdade elas precisam de água sim, nem demais nem de menos, como veremos a seguir. O problema das regas é a drenagem do vaso e as condições de incidência de sol e tipo de vaso. Mais detalhes nos próximos itens. 


Folhas próximas à terra apodrecidas pelo excesso de água

Mas qual o sintoma de que a planta está sendo regada demais? O óbvio é o apodrecimento do caule e folhas mais baixas; aparecimento de fungos e cochonilhas; folhas amareladas. O correto é haver todo um equilíbrio em conjunto com todos os fatores de cultivo que citei anteriormente, e não fixar somente no excesso de água em si. Vamos ver...


2. Água de menos


Sim, é um erro dar pouca água pra sua planta. É muito comum as pessoas virem perguntar se minhas plantas ficam no tempo. Gente, a planta não veio no vaso desde sempre né? O comum é na natureza ficarem sob todas as intempéries! As mais fortes resistem e sobrevivem! O meu método de cultivo é deixar o mais perto possível do natural. Todas minhas plantas ficam sob sol e chuva sem sombrite ou outra proteção; contando apenas com uma luz filtrada de uma árvore em alguns pontos do quintal, o que é ótimo para as mais sensíveis. Isso também ocorre na natureza. O que me falta somente é plantá-las no chão, onde isso ocorrerá brevemente e terão longos posts sobre todo o processo aqui no blog.

Mas voltando ao fato de que elas precisam de água sim, e consiste em um mito essa história de que suculenta e cacto não gostam de água, (acabando de ler aqui, vá lá no post 5 mitos sobre cactos e suculentas) digo que sim, elas precisam de uma quantidade razoável de água para ficarem bonitas e saudáveis. A confusão vem do fato de que elas aguentam bastante tempo sem regas, pois são plantas de deserto e altas altitudes, onde nem sempre as chuvas são correntes. Aguentar não significa que não gostem de água! Elas ficam murchas, feias, secas, sem viço nem brilho. Portanto se quer sua suculenta sempre linda, brilhante, e o mais importante: gordinha! Dê água sempre o suficiente. Ou deixe-a pegar chuva. A água da chuva faz muito bem à elas, saiba porque lendo este artigo!

Mas qual a quantidade? Como disse no item anterior, não devemos nos fixar somente no quesito "quanto de água devo dar à minha planta". Temos que levar em conta todos os fatores. No final deste post tenho certeza que entenderá!


3. Adubo demais

Assim como para o ser humano a hipervitaminose é prejudicial, para as plantas não seria diferente, pois são seres vivos. O excesso de adubo pode matar sua planta da noite para o dia, queimando as raízes se for aplicado muito perto do caule e sem regar depois; intoxicando-a ao ponto de amanhecer com as folhas murchas e queimadas; aplicando adubo foliar em horário muito quente e assim por diante. O correto é sempre fazer uma boa diluição se for líquido, de acordo com as instruções do fabricante. Para ter mais tranquilidade, coloque sempre um pouco menos do recomendado. 


4. Adubo de menos

Adubo de menos deixa a planta mais vulnerável às pragas, assim como o ser humano fica com a imunidade baixa pela falta de certos nutrientes. Faça uma adubação foliar ou de cobertura de 15 em 15 dias. Pode-se usar um adubo no momento do replante também, misturado ao substrato. Eu particularmente uso o Forth Jardim em pó, colocando uma pequena quantidade direto no canto do vaso e regando abundantemente em seguida. Estou fazendo um teste com um adubo foliar, depois conto. Existem outros tipos também que você pode diluir e regar; o Forth dá essa opção. Alguns tipos de nutrientes favorecem mais as suculentas como o potássio: ele ajuda a enraizar as plantas, engrossar o caule e dar cor. Então se for escolher um adubo do tipo NPK, prefira o que tenha o "P" um pouco maior e o "N" que é o nitrogênio, menor, pois este em excesso faz as suculentas estiolarem (crescerem demais e deformarem) e ficarem mais verdes . Também ajuda a dar mais resistência. Não utilize adubos orgânicos como esterco, húmus, farinha de ossos e etc (vou explicar mais adiante). 


5. Sol demais

Queimadura de sol

As suculentas amam sol, é fato, o problema é quando chove e no outro dia vem aquele sol abrasador em cima, cozinhando as coitadas. Algumas são mais frágeis e tem que se manter em local onde pegue só a luz da tarde ou da manhã, que são mais amenos. Mas isso só se sabe com observação. Não tem como falar se esta ou aquela espécie é mais resistente, porque depende do seu clima e cultivo. Muitas se adaptam aos mais diversos microclimas. Aqui como eu deixo todas ao tempo, olho todos os dias se tem alguma mais sofrida, etc e vou mudando de lugar até que ela se sinta bem. Algumas precisamos adaptar, como as que trazemos das floras e mercados, pois passaram muito tempo sem ver o sol. Com certeza elas vão sofrer um pouco no começo, queimando algumas folhas, mas com o tempo ficam bem. Eu não gosto de usar nenhum tipo de sombrite ou coisa parecida, primeiro por conta da estética, segundo porque como disse gosto de fazer um cultivo natural. Mas não condeno quem usa. Cada um faz do jeito que fica mais prático.


6. Sol de menos

Planta estiolada por pegar pouco sol

Este é o grande problema da maioria dos cultivos. Muitas revistas de decoração e blogs de modinha inventaram que suculenta e cacto dá pra cultivar dentro de casa. Principalmente porque está em voga fazer terrários. Pelo amor de Deus gente. Essas plantas precisam de sol pleno para sobreviverem! Por isso muita gente diz que sempre compra a planta e não consegue cultivar, porque quer porque quer por na sala. Pode até por, mas em uma janela que pegue no mínimo umas 4 horas de sol. E mesmo assim não confio, porque elas crescem em direção à luz, ficando deformadas.

Então quer sua plantinha com o formato lindo, principalmente as echeverias com aquelas rosetas perfeitas? Dá-lhe sol pleno!


7. Substrato inadequado

Solo compactado demais

Outro fator importante juntamente com a quantidade de regas. Elas ficarem na chuva ou não, sendo muito regadas ou não, é extremamente importante que o vaso tenha uma boa drenagem, juntamente com o solo. O que significa isso? Colocar uma camada de pedras ou isopor no fundo, para que a água não acumule nas raízes e no substrato fazer uma mistura com pedriscos ou perlita. Muitos usam areia grossa de construção (nunca de praia!), eu não costumo usar, só com os cactos. O importante é que a terra não fique compactada, evitando o bom escoamento das regas e também o bom desenvolvimento das raízes. Já mostrei qual eu uso aqui.


8. Vaso inadequado


Eu prefiro os de barro ou cimento aos de plástico, pois são porosos e não tem perigo de ficar molhado por muito tempo como no de plástico. Também como mantém a boa temperatura da terra, se o vaso estiver em um local onde o sol castigue, não tem o problema de a planta cozinhar.


Planta grande demais pro tamanho do vaso

Um fato importante também é respeitar o tamanho da planta com o tamanho do vaso. Uma planta grande demais em um vaso pequeno só ficará bonita se você fizer um bonsai, onde há de ter um equilíbrio entre as raízes e o tamanho da planta, tendo que fazer podas constantes. Plantas que tem raízes mais profundas, como cactos e algumas sucus, em vasos pequenos não se desenvolverão. Como saber? Se a planta estiver estagnada por muito tempo, dê uma olhada no torrão. Se estiver tomado de raízes é bom trocar o vaso.


9. Falta de poda

Muito importante. Assim como as plantas "comuns", as sucus ficam mais bonitas com podas regulares. E com o resto dessas podas você ainda pode fazer mudas. Já ensinei como fazer mudas aqui e aqui


Planta que estava muito pescoçuda e foi podada com brotos laterais já nascendo

O topo da planta podada foi plantada diretamente no mesmo vaso


Porquê é importante? 

- Para revigorar a planta, dar força pra que ela cresça;
- Poda de formação: cortando o "ponteiro", ela começa a crescer pelas laterais; assim se quiser que sua sucu fique cheia, pratique esse tipo de poda;
- Decaptação: importante se sua sucu tem uma praga nas raízes, como: nematóides, cochonilhas de raiz, não se desenvolve corretamente ou simplesmente porque ela está muito pescoçuda. 


Echevérias que foram decaptadas e estão esperando enraizar pra ir pra terra. Não costumo fazer assim, geralmente já planto direto sem esperar enraizar, mas como é época de chuva e a chance de apodrecer é grande, estou fazendo assim.

Estavam muito pescoçudas, então passei a faca.


Com o tempo as sucus perdem a forma e para que continuem bonitas, uma poda drástica é necessária. Nos links que citei no começo deste item é possível ver com detalhes como funciona. Algumas plantas com o tempo vão minguando, ficando só aquele caule seco e um pouco de folhas nas pontas até morrer por completo. Então nesse caso corte essas pontas que ainda tem folhas e plante-as, podendo descartar o restante ou deixar para ver se crescem novas mudas no caule.


Crassulas feias secando a base, Já já passo uma faca nelas...



10. Falta de replante


Assim como no caso da poda, um replante de vez em quando é bom, tanto para trocar o substrato velho quanto para passar a planta para um vaso maior, se ela já esgotou o crescimento no antigo. Também é recomendado para que verifiquemos as condições das raízes; se estão saudáveis ou com pragas, podendo ser preciso uma poda drástica das raízes ou lavagem das mesmas. Sobre isso verifique o link na palavra "pragas" logo acima.


11. Não fazer uma limpeza das folhas mortas


Folhas mortas embaixo da echeveria

É normal ficarem folhas secas na base das plantas, tanto pela senectude das mesmas quanto pelo apodrecimento de algumas. Nas echevérias podem ficar escondidas e nem nos damos conta. É importante fazer essa limpeza, tanto quanto pela estética como para evitar que alguma praga se instale ali, como: lesmas e caracóis, besouros, cochonilhas, formigas, etc. Principalmente as folhas "meladas" devemos retirar rapidamente para que não "contamine" o restante. Até porque na retirada destas, podemos ver se o caule também está apodrecendo, tomando uma atitude imediata.


12. Não aplicar fungicida regularmente

Folha "fungada"

Um item de extrema importância no cultivo de cactos e suculentas, principalmente das suculentas. Um dos maiores motivos de perca das mudas são os fungos. Principalmente na época de chuvas. E o único modo de evitar, aliando ao cultivo correto observando todos os itens deste texto, é aplicação regular de fungicida. 

Na jardinagem amadora, temos o Sulfato de Cobre, famoso pelo nome de Calda Bordaleza e a marca mais comum é o Cupro Dimmy, da empresa de mesmo nome. O problema do Sulfato de Cobre é que ele é um fungicida de contato, ou seja, ele só vai atuar na superfície das folhas. Não é ruim usar, pois ele também é um fertilizante. 

Depois que conheci o Cercobin, minha vida de suculenteira mudou, rs. Ele é um fungicida sistêmico, ou seja, atua de dentro pra fora da planta. O sulfato atuaria como um creme na pele humana e o Cercobin como um comprimido que fosse tomado. Neste post você vai saber mais sobre ele e como usar. O problema é que é difícil de achar pra comprar e seu uso é restrito pois é bem venenoso, só achando em casas agropecuárias e tendo que ter cadastro e autorização para venda.

Aqui na época de chuva uso de uma a duas vezes na semana. Na estiagem, de 15 em 15 dias. 


13. Usar adubo orgânico


Como dito lá em cima sobre a falta de adubo, o problema do adubo orgânico é o excesso de nitrogênio, que no caso da maioria das plantas é excelente, pois ele as deixa mais verdinhas e crescem muito. Pras suculentas não é o que queremos. Queremos plantinhas coloridas e compactas. Além desse problema, também tem o fato de que adubos do tipo esterco e húmus, se não forem de procedência idônea, podem vir contaminados com ervas daninhas, nematóides e sabe-se lá mais o que.


14. Entender o ciclo da planta


Como dito no meu post "Porque algumas suculentas morrem depois de florescerem", alguns tipos de plantas são monocárpicas, ou seja, depois da floração a planta-mãe morre deixando sementes e filhotes ao redor. No caso das suculentas são comuns as kalanchoes, orostachys e sempervivuns. Então se sua suculenta morreu depois de dar flor, não fique triste, era o momento dela. Com certeza na base do caule das folhas brotarão filhotes que podem ser replantados, e também sementes, depois que as flores secarem.


Essa kalanchoe toda fia floresceu e ogo cortei os pendões. Assim alguns brotos surgem do caule, mas vê-se que ele está bem fraco. Então não adianta somente cortar os pendões. Essa muda está fada á morte de todo jeito. As mudas que tirei das laterais e plantei ao lado, verdinhas, estão saudáveis e é o que devemos fazer.


15. Verificar diariamente o aparecimento de pragas


E o último item e não menos importante. Ás vezes vemos as plantas até saudáveis, mas verificando por baixo das folhas lá estão as temidas cochonilhas e pulgões. Ou então uma mordida de caracol ou lagarta ficou escondido, e quando você vai ver não resta nada da planta. Por isso não é tarefa fácil ser jardineira. Tem que olhar todo santo dia pra ver alguma anormalidade e salvar a planta a tempo. 


Quando ver uma suculenta com esse montinho de terra no miolo, pode saber que tem cochonilha. As formigas doceiras fazem essa proteção pras cochonilhas, pois as escravizam para pegarem o líquido doce que elas excretam depois de sugar a seiva da planta.

Retirei a terra e olha só, batata...

"Ah não tenho tempo". Então não tenha plantas. Elas requerem dedicação e muitos cuidados. 

Um problema muito comum de deformidade nas suculentas é cochonilhas no miolo. Elas começam a estiolar e as folhas ficarem tortas. Se ver esses sintomas olhe mais de perto e encontrará a causa.

Um adendo:

Além da importância de se passar em revista todos os dias todas as plantas para verificar se tem pragas, é importante também pelo fato de que uma simples olhada pode salvar uma vida! rs Vejam essa crassula...



Estava tirando umas fotos das plantas pra por aqui no post e me deparei com ela meio mole no vaso, nem deu tempo de tirar foto, fui correndo tirar do vaso...



O que sobrou! Acho que ainda vou salvar umas mudas. Retirei as que não estavam melafas e pus a secar. Daqui uns dias replanto denovo e deixo sem regas uns 15 dias. Olha só como as outras que estão no mesmo vaso em que ela estava estão perfeitas...


Ela estava nesse canto direito. Por isso é importante observar pra criar experiência! Nem todas gostam do mesmo tipo de cultivo!


Como se pode ver, o cultivo dessas lindezas não é nada fácil! Tem que ter paciência e perseverança! Fiz um post bem legal sobre como não são fáceis: Clique aqui para ver.

2 comentários:

  1. Bom dia, por favor, moro em um sítio no sul de Minas e gostaria de passar minhas suculentas para o chão em um jardim. Gostaria de saber se elas podem ser plantadas no chão e se tenho que fazer algum preparo. Obrigada pela oportunidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza pode.Não precisa ter nenhum preparo especial, só coloque no local onde for plantar uma camada de substrato bem drenável.
      Abraços

      Excluir

Obrigada pela visita, em breve responderei! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...