terça-feira, 20 de agosto de 2013

Meios de propagação das plantas - Parte 2

Continuando com o assunto, vamos ver mais 3 métodos: divisão de bulbos, divisão de touceiras, filhotes da planta-mãe.

Plantas bulbosas: São plantas que apresentam como raíz uma "batata", onde é guardada sua reserva de energia. Muitas são comestíveis como as próprias batatas que compramos em supermercado, cebolas, mandioca, gengibre, açafrão... e várias são as espécies ornamentais como as helicônias, dálias, tulipas, lírios, etc.


Bulbos de Jacinto - Fonte

Esse tipo de planta geralmente floresce de uma a duas vezes ao ano. Depois que floresce, perde as folhas e entra em hibernação, até que entre a época de florir novamente. Muitas pessoas acham que a planta morreu, mas na verdade ela está lá quietinha, criando filhotes, para florir bem mais da próxima vez. Então suspendemos as regas até que ela brote novamente. Algumas mantém as folhas o ano todo, mas também podem ser divididas. Várias lojas na internet vendem bulbos, assim como tem sites que vendem sementes. Eu mesma já comprei e estou esperando as flores de copo-de-leite e flor-de-lis.

Plantas que se reproduzem por divisão dos bulbos:


Amarílis - Fonte


Helicônias - Fonte


Dálias - Fonte


Lírio-de-natal - Fonte

Como dividir os bulbos: quando a planta florir e depois perder as folhas, está na hora de fazer a propagação. Tire da terra e separe os bulbilhos do bulbo-mãe e replante em outro vaso, ou guarde em um lugar fresco e seco e replante em alguns meses. Se a planta é do tipo de floresce ou continua com as folhas o ano todo, também pode ser separada. É só desenterrar a planta com as batatas e tudo e separar os bulbos.



Divisão de touceiras: É famosa por aí a expressão: "planta entouceirada". São plantas que vão crescendo junto com a planta-mãe. Então é só desenterrar e separar as raízes. Funcionam pra esse método algumas orquídeas, samambaias, agapantos, antúrios, bromélias... algumas plantas bulbosas podem ser consideradas também nesse grupo, pois também formam touceiras, ou seja, vão crescendo outras plantas ao redor da planta-mãe.



Filhotes da planta-mãe: Chamado de Multiplicação Vegetativa Natural, várias plantas produzem filhotes nas próprias folhas, caule aéreo ou caules subterrâneos (bulbos, tubérculos e rizomas). Então não tem segredo. Como os filhotes já tem raíz, é só por na terra e ser feliz.

Fonte do material abaixo: Aqui

Folhas: certas plantas desenvolvem pequenas plântulas nas margens das folhas. Estas, ao cair no solo, enraízam e dão origem a uma nova planta (ex.:Bryophyllum)


A maioria das plantas suculentas formam filhotes nas bordas das folhas, como as Kalanchoes. 

Estolhos: certas plantas, como o morangueiro, produzem plantas novas a partir de caules finos e longos de crescimento aéreo e horizontal, chamados estolhos. Estes, ao caírem no solo enraízam formando novas plantas.

 
Morangueiro

Rizomas: os lírios, o bambu e os fetos, possuem caules subterrâneos alongados e com substâncias de reserva, denominados rizomas. Estes, além de permitirem à planta sobreviver em condições desfavoráveis, podem alongar-se, dando origem a gemas que se vão diferenciar em novas plantas.

 
Bambu


Tubérculos: Os tubérculos são caules subterrâneos volumosos e ricos em substâncias de reserva, sendo a batata um dos mais conhecidos. Os tubérculos possuem gomos com capacidade germinativa e que originam novas plantas.

 






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...