Estufa de plantas carnívoras no Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Dando continuidade aos posts do Rio de Janeiro, vamos conhecer agora a estufa de plantas carnívoras. Apesar de eu já ter estado lá 4 vezes, nunca tinha atentado a esta estufa. Tem poucas espécies e achei meio descuidado, mas pra quem nunca viu dá pra ter uma idéia da variedade de plantas. 







Eu não entendo muito sobre essas plantinhas, recomendo no blog Saberes do Jardim. Este link tem todas as postagens da Bruna no blog sobre carnívoras, desde o plantio por sementes até o cuidado e todas as informações. 


"Plantas carnívoras são plantas com a capacidade de atrair pequenos animais, incluindo insetos, aracnídeos e até mesmo anfíbios, répteis e aves, capturar (através de armadilhas compostas por folhas modificadas), digerir (através de enzimas digestivas) e utilizar os nutrientes (principalmente compostos nitrogenados) de suas presas. Habitam geralmente solos pobres, encharcados e ácidos (baixo pH) com pouca disponibilidade de nitratos (essenciais para a síntese da molécula de clorofila), dependendo assim do nitrogênio contido nas proteínas dos animais, mas, como todo vegetal, é dependente da energia proveniente da luz para sobreviver."




As carnívoras não precisam de substrato para se desenvolver; somente uma mistura de areia com musgo e precisam sempre estar "encharcadas". Por isso é muito importante quando compramos uma plantinhas trocar o substrato o quanto antes, pois o que vem das floriculturas não é o adequado.



"Existem quatro famílias principais de plantas carnívoras: Nepenthaceae, Sarraceniaceae, Droseraceae e Lentibulariaceae. São extremamente distintas entre si com respeito às estruturas reprodutivas, o que indica que podem ter evoluído paralelamente, e que sua habilidade de capturar e digerir seja uma convergência evolutiva. Entretanto, algumas estratégias de captura são similares, como nos animais." (Fonte)




Interessante:

"Algumas espécies de Bromeliaceae, como a Brocchinia reducta e Catopsis berteroniana são reconhecidamente carnívoras. Bromélias são monocotiledôneas, e como são naturalmente plantas coletoras de chuva pela forma de sua folhagem, e muitas espécies são epífitas e coletam detritos (Bromélia tanque), não é de se espantar que algumas tenham desenvolvido um hábito em direção à carnivoria ao adicionar cera, glândulas digestivas e pelos voltados para baixo à sua estrutura." (Fonte)








Sobre cada espécie, clique aqui.


Espero que tenham gostado e o próximo e último post sobre o Rio será da estufa de orquideas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...