Dormência nas suculentas: até que ponto ela acontece?

O Brasil é um país de proporções continentais; em cada Estado, mesmo estando numa mesma região, pode apresentar variações de clima diferentes. Mesmo no Sul onde há regiões que até nevam, o inverno não é tão rigoroso quanto se pegarmos como exemplo os Estados Unidos, onde realmente o inverno é inverno em todos os seus meses de vigência.

Vamos discutir aqui o assunto polêmico da dormência nas plantas suculentas, mas no Brasil. Há controvérsias quanto a este assunto, e vamos por todos os pontos aqui neste post.


Uma das minhas bacias de Aeonium, uma planta que teria como dormência o verão, contrário ao da maioria das suculentas onde a dormência seria no inverno.

Vamos começar explicando o que significa dormência em Biologia:

"Dormência é um período no ciclo de vida de um organismo no qual o desenvolvimento é temporariamente suspenso. Ela minimiza o gasto energético, por reduzir a atividade metabólica, e pode auxiliar um organismo a conservar energia. Dormência está normalmente associada com as condições ambientais. Os organismos podem sincronizar a entrada em uma fase dormente com o seu ambiente por meios preditivos ou consequenciais."

Daí já podemos concluir que a dormência está associada com as condições ambientais., como diz no próprio texto. Seja uma seca muito prolongada, ou chuvas em demasia, assim como calor excessivo e frio excessivo. Há seres vivos microscópicos que em um ambiente muito seco, podem cristalizar e assim que é adicionado água, voltam à vida.


O Tardígrado é um animalzinho microscópico que sobrevive aos mais adversos ambientes. Se quer saber mais sobre ele, clique aqui


Tipos de dormência:
"Dormência preditiva

"A dormência preditiva ocorre quando um organismo entra em uma fase de dormência antes do estabelecimento das condições adversas. Por exemplo, fotoperíodo e baixa da temperatura são usadas por muitas plantas para prever a chegada do inverno. 
 
"Dormência consequencial  
"A dormência consequencial ocorre quando o organismo entra em fase dormente após as condições adversas terem “chegado”. Esta é normalmente observada em áreas de climas imprevisíveis. Seria de se esperar que alterações muito súbitas nas condições levem a uma alta mortalidade entre animais com dormência consequencial, porém seu uso pode ser vantajoso, uma vez que como os organismos se mantêm ativos mais tempo, estão aptos a maior uso dos recursos disponíveis."

Bingo! Então, aprendemos que existem dois tipos de dormência: na preditiva, as plantas podem entrar em dormência antes do período das condições adversas, como muito frio ou muita seca. Quando começa a esfriar, mesmo que não seja inverno, elas entendem que o frio chegou pra ficar, então já começam a se preparar para ele.

Na dormência consequencial, podemos concluir que é o que acontece no Brasil, onde o clima é muito instável. Então elas começam a "dormir" depois que as condições adversas já estão acontecendo e isso pode acarretar tanto bons resultados como ruins. No bom, é que como elas irão ficar "acordadas" em um período maior durante o ano, elas ficam mais ativas, produzindo mais e usam por mais tempo os recursos disponíveis, como nutrientes e água. Já no resultado ruim, pode haver uma mortalidade maior de indivíduos, já que eles não estavam preparados para aqueles eventos. Isso está dentro da seleção natural, os mais fortes vencem e continuam a se reproduzir, gerando descendentes  mais resistentes àquelas adversidades.

Sempervivum, uma planta que em locais muito frios no inverno entra em dormência. As minhas estão sempre acordadas, coitadas.
Sempervivum em dormência no inverno dos EUA. Parece que tá morrendo, #sqn
Fonte

Como eu sempre digo aqui no blog e volto a repetir em todos os posts: em jardinagem, o que vale é a observação do jardineiro. Dicas são sempre bem-vindas, mas aprenda a olhar sua planta e entender o que ela quer lhe dizer. 

As suculentas não são plantas nativas do Brasil, portanto informações sobre esse assunto especifico que é a dormência, em português, é praticamente nulo. Buscando informações em sites em inglês, concluí que a regra que vale para dormência é: observar seu clima e o que a planta está lhe mostrando. Não existe isso de suculenta de inverno, suculenta de verão. A não ser que você more em um país onde as estações são bem definidas e ainda assim, se for cultivado ao ar livre. Se for em estufa ou viveiro, a configuração muda totalmente. 

Se tiver paciência de ler em inglês ou mesmo usando um tradutor, veja esta matéria: Succulent dormancy: What you  really need to know

Uma suculenta que podemos observar bem a dormência no Brasil é a Orostachys:


Orostachys malacophylla da minha coleção.

Aqui na minha região, pra quem não sabe, Uberaba/MG, Triângulo Mineiro, cerrado, temos somente duas estações: a da seca e a das chuvas. Durante 6 meses, no outono e inverno, temos uma estiagem pesada, acontecendo chuva uma vez ou outra. Não temos frio, somente refresca mais à noite e pode ser que faça frio uns 10 dias durante esses meses. Portanto, não observo dormência nenhuma em minhas suculentas, e continuo cuidando delas como em todos os outros meses.

Claro que não vou mentir que quando começa a se aproximar a Primavera, noto um desenvolvimento mais acelerado em todas as minhas plantas, não só nas suculentas. Mas não quer dizer que no outono/inverno elas estão totalmente inertes.

Vejam essa minha Orostachys acima. Estamos no inverno e ela está assim enorme e cheia de filhotes. Engraçado que aqui ela fica mais bonita assim no inverno, que era pra ser a dormência, e no verão fica mais contida. 

Foto da mesma planta cultivada no sul do país pela amiga Edna Miazaki, que gentilmente nos emprestou as fotos

Vejam que na foto acima o formato da planta é totalmente diferente na mesma época do ano, só que em local onde o inverno é mais marcante no Sul, pela amiga Edna Miazaki. Neste estágio elas estão saindo da dormência.


Foto da mesma bacia da Edna, no começo da dormência.

As bacias da Edna fora da dormência

Podemos ver claramente então que na mesma época do ano, inverno, no mesmo país, a mesma planta se comporta de maneiras diferentes. Então porquê fulano disse que a planta tá em dormência no Estado dele, e que tem que parar de regar, não fazer mudas porque não enraíza, etc etc, que vou cuidar das minhas do mesmo jeito? Filho, se eu deixar de regar dois dias aqui, minhas plantas morrem esturricadas.

Minha gente, aqui anda fazendo calor de 36 graus, com sensação de 40 e umidade do ar batendo os 12%! Preciso regar as sucus dia sim e dia não pra aguentarem o calor. E não, elas não melam nem fungam, por conta da umidade baixa do ar! Então depende muito do seu tipo de cultivo! Aprenda a adequar as suas plantas ao seu clima e cultivo!


Bacia da Edna de Orostachys boehmeri em dormência

Minha humilde bacia de Orostachys boehmeri

Vejam as duas mesmas plantas acima, na mesma época, porém em climas diferentes. Gente, eu vejo cultivador que se diz experiente deixando as plantas com a terra esturricada por meses, as plantas todas secas e enrugadas porque "está em dormência". Uai, deixando ela esturricar vai entrar em dormência à força mesmo. Depois pra voltar ao normal e ficar gordinha, vão meses. Vale a pena sacrificar uma planta por conta de orgulho? Porque o livro falou, assino embaixo? Temos que aprender que tudo na vida, seja que informação for, temos que adequar à nossa realidade.

Diz-se que no inverno não se pode fazer muda da planta, pois se você decapitar e ela está em dormência, ela não emitirá raízes. Ora vejam, aqui eu faço decapitações o ano todo e aí? E até prefiro no inverno na época da seca, pois as perdas são praticamente nulas. 

Quanto à adubação e rega: diminuo sim a adubação mas a rega aumenta, pois se não chove e minhas plantas estão no tempo e no sol forte, precisam sim de regas abundantes para que as raízes fiquem sempre frescas e consigam segurar a umidade. Ainda mais se for vaso de barro. O único problema aqui com emissão de raízes é com o sol forte. Plantas recém decapitadas ou recém plantadas devem ficar em local mais fresco e receber mais regas até "pegarem", ou seja, que as raízes estejam desenvolvidas. 

Se coloca sob sol pleno uma planta recém plantada, mesmo com raiz, ela não irá se desenvolver, pois concentrará sua energia em não morrer com o sol forte, e deixará de emitir novas raízes.


Mais um das minhas lindas cuias de Aeonium que inclusive decapitei e replantei no começo do inverno e estão deslumbrantes!

A mesma coisa acontece em locais muito chuvosos mas que fazem mais frio. Amigos de Curitiba, apelidada carinhosamente de Chuvitiba, que tem vasos ao tempo, as plantas estão sempre lindas  e recebendo chuva o ano todo, independente de calor ou frio. Da mesma forma as plantas entendem que a dormência é dispensável pois não há perigo pra elas, não há uma condição adversa à vida.

Dúvidas, nos mande nos comentários!

Já conhece minha loja de Suculentas? Clica na imagem abaixo!



Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...