domingo, 13 de abril de 2014

Cactáceas e afins na vegetação de restinga em Cabo Frio-RJ-Brasil


Como disse para vocês, estou na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro. Alguns dias atrás fui em Cabo Frio, que fica na região dos lagos. Já conhecia o local e fotografei um pouco da natureza de lá para mostrar no blog. Tanto o paisagismo da cidade quanto nos matos o que predomina são cactos e agaves, e essa vegetação de litoral é chamada de restinga. Mas o que é?

Foto tirada em Cabo Frio

De acordo com a Wikipédia:
"A restinga é um espaço geográfico formado sempre por depósitos arenosos paralelos à linha da costa, de forma geralmente alongada, produzido por processos de sedimentação, onde se encontram diferentes comunidades que recebem influência marinha, podendo ter cobertura vegetal em mosaico. Esse tipo de vegetação também pode ser encontrado em praias, cordões arenosos, dunas e depressões em diversos estágios sucessionais existentes fora da restinga na parte interiorana do continente. A restinga também pode se formar nos estuários dos rios, pela deposição de sedimentos, dando origem à formação de rios ou assoreamentos."

Incrível como as plantas estão lindas mesmo crescendo na areia pura. Aqui agaves e Kalanchoe

Predominam as Opuntias fico-índicas

"Mais especificamente no Brasil, a restinga pode ser definida como um terreno arenoso e salino, próximo ao mar e coberto de plantas herbáceas características. Ou ainda, de acordo com a resolução 07 de 23 de julho de 1996 da CONAMA, "entende-se por vegetação de restinga o conjunto das comunidades vegetais, fisionomicamente distintas, sob influência marinha e fluvio-marinha. Estas comunidades, distribuídas em mosaico, ocorrem em áreas de grande diversidade ecológica sendo consideradas comunidades edáficas por dependerem mais da natureza do solo que do clima"."



À direita, Avelóz

Cereus, Iucas, agaves, bromélias

"As restingas se distribuem geograficamente ao longo do litoral brasileiro, em pontos específicos na extensão de mais de 5000 km, não ocorrendo de forma contínua. As principais formações ocorrendo no litoral de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Alagoas,Sergipe e Bahia. Um exemplo de restinga é a Restinga da Marambaia, no litoral do Rio de Janeiro."

Fiquei encantanda com essa Jatrofa, que pesquisando descobri ser Jatropha gossypifolia







"Para conter a degradação destas áreas geográficas, que são as restingas, garantindo, especialmente, que estas possam continuar exercendo sua importante função ambiental de fixadoras de dunas e estabilizadoras de manguezais, o Código Florestal brasileiro (Lei 12.651, de 25 de maio de 2012) enquadra as áreas das restingas como Áreas de Preservação Permanente - APP, não podendo as mesmas serem devastadas e ocupadas, conforme inciso VI do art.4º e 7º da Lei. A Resolução Conama 303, de 20 de março de 2002, que dispõe sobre parâmetros, definições e limites de APP, estabelece que constitui APP a área situada nas restingas: em faixa mínima de 300 m, medidos a partir da linha de preamar máxima; ou em qualquer localização ou extensão, quando recoberta por vegetação com função fixadora de dunas ou estabilizadora de mangues."

Fonte das informações: http://pt.wikipedia.org/wiki/Restinga


Agora fiquem com mais um pouco deste paraíso que é Cabo Frio!


No meio da areia, eis que surge uma majestosa e florida Primavera!









Até no muro um cacto resolveu fazer de casa


Pitaya?


Gaivota "Feel like a sir"


Lagarto lindo! Adoro

domingo, 6 de abril de 2014

Hibiscus cannabinus Kenaf

No post anterior falei sobre a Vinagreira e a Flor da Jamaica. Pois bem, fiquei sabendo que aquela outra espécie de Vinagreira que não soube identificar na verdade se chama Kenaf, ou Hibiscus cannabinus. O nome não é mera coincidência com a plantinha Cannabis sativa; vendo a foto abaixo vemos que as folhas são extremamente parecidas.


Fonte das fotos: Google Images

A que tenho aqui em casa é essa da flor vinho. Resolvi fazer um post em separado desta planta pois pesquisando achei vários artigos científicos abordando as multifuncionalidades desta planta. É incrível como temos verdadeiras jóias da natureza em casa sem saber!

"Kenaf [etimologia: persa]. O Hibiscus cannabinus é uma planta da família das Malváceas, a mesma de todos os hibiscos, malvas e gerânios. O Hibiscus cannabinus é um gênero de Hibiscus e é provavelmente nativa do sul da Ásia , apesar de sua origem natural exata é desconhecida. O nome também se aplica para a fibra obtida a partir desta planta. Kenaf é uma das fibras associadas à juta e apresenta características semelhantes." Um adendo: assim como o cânhamo, que foi usado durante milênios também como fibra.
É amplamente cultivada na Ásia, África e adjacências e foi cultivado no Egito há mais de 3000 anos atrás.

 "As folhas de kenaf foram consumidas na dieta humana e animal e a fibra foi usada para sacos, cordas e velas para barcos egípcios. Esta cultura não foi introduzida no sul da Europa até o início de 1900. Hoje, as principais áreas agrícolas são China , Índia , e também é cultivada em muitos outros países, como os EUA, México e Senegal." 

 
A fibra. Fonte Google Images

"Outras usos da Kenaf incluem: corda , barbante , pano grosseiro (semelhante ao feito de juta ), e papel . Na Califórnia, Texas, Louisiana e Mississippi 3.200 hectares (13 km ²) de kenaf foram cultivadas em 1992, a maioria dos quais foi usado para roupa de cama e alimentação animal. (...) Também usado como madeira de engenharia , isolamento, camas de animais, material de embalagem e material que absorve óleo e líquidos. Também é útil como fibra cortada para mistura com resinas para compostos de plástico e como um preventivo para perda de fluido de perfuração de petróleo; vários tipos de tapetes ambientais, tais como tapetes de relva semeadas para gramados instantâneos e esteiras moldáveis ​​para peças fabricadas e contêineres. A Panasonic montou uma fábrica na Malásia para a fabricação de placas de fibra kenaf e exporta-os para o Japão. Além disso, como parte de seu esforço global para tornar os veículos mais sustentáveis, a Ford e BMW estão fazendo o material para os corpos de automóveis de kenaf. A primeira implementação de kenaf dentro de um veículo Ford estará no Ford escape 2013."

 
As cápsulas com as sementes. Fonte da imagem Google Images
"As sementes de Kenaf produzem um óleo comestível. Este óleo também é usado para cosméticos, lubrificantes industriais e de biocombustíveis. Ele é rico em ácidos graxos poliinsaturados, que são agora conhecidos por serem saudáveis. Contém também uma elevada percentagem de ácido linoléico (ômega-6). Todos eles são importantes para reduzir o colesterol e doenças cardíacas."

Fonte das informações: http://en.wikipedia.org/wiki/Kenaf

Frutos da Kenaf. Fonte da foto Google Images

Mais informações em inglês sobre a Kenaf:
http://www.fibrafp7.net/Portals/0/05_Alexopoulou.pdf
http://www.hort.purdue.edu/newcrop/duke_energy/hibiscus_cannabinus.html
http://www.pfaf.org/user/Plant.aspx?LatinName=Hibiscus+cannabinus
http://link.springer.com/article/10.1007/BF02904005

Mais algumas fotos desta linda planta em suas diversas variações:





Fonte das imagens Google Images

Mais fotos e infos: http://www.kenafibers.com/kenaf_varieties_pics.html

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Hibiscus acetosella, Hibiscus sabdariffa, Vinagreira, Flor da Jamaica

Olá pessoas queridas! Dei uma sumida né? Estou um pouco sobrecarregada com a pós-graduação e estudando pra concurso... mas claro sempre tenho um tempinho pra cuidar das plantinhas né? Mas aguardem pra semana que vem uma enxurrada de posts, pois vou ao Rio de Janeiro, ficarei 15 dias e visitarei muitos lugares legais e quero mostrar tudo para vocês, inclusive dicas de onde comprar plantinhas.

Então, vamos ao assunto de hoje. Vocês já ouviram falar da Flor da Jamaica? Quem é fã de Chaves e Chapolim (eu! rss) sabe do famoso episódio da "Água da Jamaica": 

Fonte
Sim, a famosa Água da Jamaica do episódio existe e é muito apreciada no México e outros países latinos. É feita com o fruto da flor da Jamaica Hibiscus sabdariffa L. No Brasil também chamado caruru azedo e quiabo roxo.

A flor da jamaica
Fonte


O fruto
Fonte

É usada em sucos, geléias, chás e muito mais. Também é considerada medicinal. Retirado do Blog Come-se:
"Originário da Ásia Tropical e África, o hibisco (ou ainda rosélia, pombola, azedinha e vinagreira) usado na culinária é diferente do hibisco ornamental. O que se come é esta parte carnuda - ou cálice para sermos mais botanicamente corretos. O fruto, deixa-se a secar para usar as sementes no próximo plantio. As folhas também se usam, principalmente no Maranhão, onde se faz com elas o arroz de cuxá, uma maravilha. Para preparar, não tem segredo. Lave bem, faça um cortinho de comprido e “descasque” o miolo. Use os cálices em chás, sucos, geléias, vinagretes, compotas, chutney, bolos, sugoli, sagu, gelatinas, sorvetes, picolés, recheios, etc. etc."

 
Fonte: Google images

Para ler mais sobre a Jamaica, recomendo os seguintes links do blog Come-se:

Matéria sobre Hibisco na coluna Paladar
Geléia de Hibisco
Suco de Bissap
Quentão de Hibisco
Sugoli e chá de hibisco
Secando Hibiscos
Hibisco saiu de moda
É tempo de hibisco

No Brasil acho difícil achar pra vender muda ou semente, é mais fácil conseguir com alguém ou comprando o hibisco seco em mercados. Eu consegui sementes em algumas trocas internacionais, e minhas mudinhas estão assim agora:




Muito bem, agora vamos falar da Vinagreira, é que é quase igual mas é diferente. Nome científico: Hibiscus acetosella. É até considerada em alguns lugares uma planta invasiva, pois se prolifera muito rápido, formando touceiras e dá muitas sementes. A minha peguei na rua, se propaga facilmente também por estacas. É usada como medicinal. Ah, interessante sobre esses hibicos todos é que as flores abrem pela manhã e a tarde já se fecham. Uma pena, pois são maravilhosas de se admirar! A foto abaixo é de uma que tive ano passado:



Dá pra ver que as folhas são parecidas com a Jamaica, mas da Vinagreira é bem roxa, muito bonita. Retirei partes de um texto neste site:

"A vinagreira roxa (Hibiscus acetosella Welw.) pertence à família Malvácea, é um arbusto de caule semi-lenhoso, que cresce até dez metros de altura, de cor roxa ou avermelhada, as folhas são hastes tenras mudam de uma cor borgonha brilhante e quando mais novas para um verde-escuro quase negro de cor cinza. (...) É uma planta comestível utilizada em vários continentes e cultivada comercialmente devido às propriedades medicinais, tem uso ornamental e têxtil (CULBERT, 2005). Sua introdução na Jamaica ocorreu no século XVIII, sendo muito popular como um aromatizante ácido. Chegou à Europa nos fins do século XIX como uma bebida refrescante, na sua cor vermelha forte, não muito apreciada. Atualmente faz parte da maioria dos chás aromáticos consumidos no continente europeu. No Brasil, essa hortaliça não é usada na culinária, são comuns nos jardins silvestres, hortas e ornamentação encontrada também em terrenos baldios. São atrativas para as abelhas, borboletas e aves. E no Estado do Maranhão para fins medicinais (RÊGO, 2010). (...)
A vinagreira roxa tem diversas indicações ainda sobre estudo, que variam conforme a parte da planta utilizada. As folhas são consideradas febrífugas, anti-hemorrágicas, estimulantes estomacais e fortificantes, O fruto é uma cápsula ovóide, de dois centímetros de comprimento, são usados na fabricação de xaropes e as flores possuem atividades antibacteriana e antifúngica. Foi constatada a presença de antocianinas nas flores, já nas folhas foram identificados os constituintes taninos, flavonóides, cumarinas, heterosídeos cardiotônicos e alcalóides (MARÇO, 2009). O chá do cálice da flor e considerado emoliente contém polissacarídeos em boas quantidades e, concentrações elevadas de flavonóides. As folhas podem ser utilizadas in natura em saladas, pelo o seu sabor cítrico, adicionadas também aos pratos cozidos e fritos. Rica em ferro, magnésio, cálcio e vitaminas A e C, contem fotoquímicos, altos teores de antocianinas, ácido tartárico, málico, cítrico e hibístico, fitosteróis, além de quantidade significativa de fibras alimentares. Por conter ácido oxálico, não pode ser consumida regularmente em grande quantidade."

Aqui as minhas mudinhas de vinagreira (parece com a Jamaica mesmo, mas as folhas são mais escuras):


Neste link mais sobre ela e sementes pra vender.

E agora temos essa variação abaixo que não sei bem a espécie, se alguém souber, por favor, fale nos comentários. É da nossa amiga Valéria, que tem trocado sementes dessa beleza com o Brasil todo, rss. Para fazer trocas entre no grupo do Facebook Plante Sementes e colha amizades. No meu ver essa é uma variação da vinagreira de flor roxa no qual os frutos não são comestíveis. A foto abaixo é da primeira flor da minha planta que veio das sementes da Valéria. Triste foi que peguei a flor quase fechando. Mas como é época da sua floração e ela ainda está pequena, teremos mais belas fotos.

Dá pra ver bem que a flor é idêntica à vinagreira da folha roxa, mas desta é bem mais escura e as folhas são verdes.

Esta foto é do jardim da Valéria, maravilhoso não?




sexta-feira, 14 de março de 2014

Novas flores no jardim

Bom, além das suculentas e cactos que estou viciada, tem as ornamentais né... aí ai, haja espaço! Adoro! Fui na floricultura comprar terra, substrato, húmus e etc. e me deparei com lindas mudinhas baratinhas... Tive que levar! Muitas eu já tive e tinha perdido e não resisiti! Vejam só se vocês também iriam resistir...

Impatiens

Celósias


Vinca

Lanterna-chinesa

Sêmania

Columéia-batom! Sonho realizado! Atrai beija-flores!

E estas são as que eu já tinha e andaram florindo esses dias...


Primavera

Lobélia

Torênia

Bela-emília

Penta

Begônia

Cravina

Torênia pendente

Petúnia

Capuchinha

Rosa medicinal

Érica japônica

Balsamina

Hibisco

Caladium

Dipladênia

Trapoeraba

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...